Monthly Archives: January 2011

Performance counter registry hive consistency check

Estás a tentar instalar o Microsoft SQL Server 2008 e não consegues prosseguir porque aparece o erro Performance counter registry hive consistency check ?

Este erro já existe à alguns anos, a primeira vez que me deparei com o mesmo foi por volta de 2008 pouco depois do SQL Server 2008 ter saído e não foi directamente comigo mas com colegas da faculdade que não conseguiam instalar por dar este erro. Decidi publicar no meu blog pois ainda hoje no trabalho tive a explicar a um colega como se contornava este problema.

Basicamente este erro sucede em apenas algumas instalações do sistema operativo, tanto podes ter a sorte de não ter que fazer nada como poderás ter que fazer alterações para o ultrapassar, o mesmo acontece porque a instalação do SQL procura uma chave do registry e que caso a mesma não se encontre no registo, não é possível prosseguir com a instalação. Com este post pretendo partilhar a solução que arranjei na altura e que funciona muito bem, sem correr riscos de danificar o sistema operativo.

Para esta resolução precisas da ferramenta Process Monitor (grátis, da Microsoft):

  • http://technet.microsoft.com/en-us/sysinternals/bb896645
  • Editor de Texto (pode ser Bloco de Notas) ou Editor de Folhas de Cálculo
  • NOTA: Estas instruções não obrigam a conhecimentos avançados de informática mas obrigam a um cuidado acrescido pois se manuseares mal o regedit podes impedir que o teu sistema operativo arranque ou originar outros problemas.

Passos:

  1. Executar o utilitário Process Monitor e esperar breves minutos para que seja feito o carregamento dos últimos acessos de sistema;
  2. Minimizar o Process Monitor;
  3. Executar instalação do Microsoft SQL Server 2008 e seguir até ao ponto em que dá erro/efectua a verificação (é preciso obrigá-la a fazer a verificação para que haja uma tentativa de acesso ao registry);
  4. Voltar a abrir o Process Monitor e dentro do programa aceder ao menu “Tools” > “Registry Summary“;
  5. Clicar em “Save As…” e guardar o ficheiro onde desejares para o abrires posteriormente;
  6. Podes abrir o mesmo com um Editor de Folhas de Cálculo ou mesmo com um editor de texto simples como o Bloco de Notas;
  7. No editor que estiveres a utilizar procura utiliza a ferramenta de pesquisa e coloca “Perflib“;
  8. Quando encontrares uma chave parecida com HKLM\Software\Microsoft\Windows NT\Current Version\Perflib\009, aponta os números a seguir ao \Perflib, (neste exemplo é a 009), essa é a chave que o instalador está a tentar aceder e que não existe no teu sistema;
  9. Vamos então proceder à criação do registo que ele procura, inicia o regedit através do Menu Iniciar > Executar > “regedit” ou se tiveres no Windows Vista ou Windows 7 procura apenas por regedit;
  10. Navega até à chave que encontraste no ficheiro, neste caso seria até HKLM\Software\Microsoft\Windows NT\Current Version\Perflib, verás uma chave já criada, por exemplo a 007;
  11. Encontrarás dois valores dentro dessa chave “Counter” e “Help“;
  12. Cria a chave que tinhas encontrado no passo 8 e dentro dessa nova chave cria os dois valores em formato Multi-String, não te esqueças de copiar o conteúdo da chave que já tinhas no registry;
  13. Fecha o regedit e o Process Monitor, faz o re-run da instalação do Microsoft SQL Server 2008, agora já vai correr tudo impecável! :-)

Este work-around poderá não ser o melhor disponível mas é certo que funciona em todas as máquinas e não cria qualquer problema para o utilizador. Poderá parecer complicado mas é uma tarefa que com experiência se faz em menos de 5 minutos.

Advertisements
Tagged , , , , ,

Tendências para 2011

Com a passagem para o ano novo, diversos analistas nacionais e internacionais de TI fazem as suas antevisões das tendências para este ano de 2011. Com este post pretendo fazer uma compilação das que considero mais viáveis e que serão realmente implementadas já neste ano.

 

  • Mais Ataques, Mais Segurança

A segurança sempre foi um elemento chave para as organizações, com as empresas a colocarem cada vez mais informação na Web e com sistemas de informação cada vez mais complexos, a segurança passará a ser algo que as empresas terão de se preocupar cada vez mais. Por outro lado, também haverão mais ataques pois os motivos para atacar são ainda mais do que no passado.

Deixará de haver ataques de Correio Electrónico (SPAM), passando as redes sociais a serem o novo alvo.

  • Social na Organização

Já temos vindo a assistir em 2010 a um crescimento enorme na ligação entre as empresas e as redes sociais. Para este ano de 2011, essa ligação passará a ser algo comum e à qual as organizações, independentemente da sua dimensão, terão de se adaptar para serem competitivas. Actualmente, apesar das empresas se manifestarem numa componente social, ainda existe a distinção entre ’empresa’ e ‘rede social’, prevê-se que este ano essa distinção deixe de existir, pois o trabalho diário da empresa estará integrada com as redes sociais.

  • Comunicações Móveis nas Crianças

Temos vindo a constatar nos últimos anos que o contacto com a tecnologia nos mais novos começa cada vez mais cedo, levantando novos problemas e preocupações. No entanto, acaba por ser muito complicado regular certas situações, como proibir o acesso a computadores e telemóveis, quando há diversas maneiras das crianças terem acesso à mesma. As tecnologias são cada vez mais fáceis e automáticas, permitindo que as crianças passem também a tirar muito do potencial das máquinas que antigamente só os adultos conseguiam tirar. As crianças passarão a ter uma palavra a dizer no uso da tecnologia e na componente social.

Também será possível fazer mais com um telemóvel, as aplicações serão mais ricas e haverá novas possibilidades para o marketing móvel. As tecnologias e as aplicações irão tirar mais partido da posição das pessoas para tornar mais fácil a comunicação entre pessoas conhecidas ou que se encontrem num determinado lugar.

  • Video-conferência, trabalho colaborativo via Online

As empresas deverão apostar mais na video-conferência e trabalho colaborativo online pelo facto que os processos produtivos obrigam a que o trabalho seja exercido a qualquer hora, em qualquer lugar, dando lugar a empresas cada vez mais online, cada vez menos será preciso estar no escritório a trabalhar, podendo estar em qualquer parte do mundo, acedendo à informação e comunicando com os outros trabalhadores quase como se estivessemos com elas. Os meios de comunicação serão mais rápidos, mais fáceis, mais intuitivos.

  • Reestruturação e Adaptação das Infra-estruturas Informáticas

As empresas terão de reestruturar e repensar a forma como comunicam, obrigando-as a alterar o sistema de informação. Questões como a interoperabilidade entre aplicações, a performance, segurança e a disponibilidade e consumo de serviços (muitos em forma de Web Services) serão preocupações que irão ocupar o tempo dos administradores de sistemas.

Ao nível das Tecnologias de Informação, há muito trabalho a fazer nas nossas empresas, é preciso ter a noção que as TI estão a mudar como as empresas trabalham, como tal, deve haver um esforço conjunto entre todos para que os processos sejam bem pensados e desenvolvidos e que resolvam os problemas das empresas, assim como sirvam de suporte para que seja possível obter os resultados desejados.


Tagged , , , , , , , ,
Advertisements
%d bloggers like this: