Tag Archives: ser profissional

Matar não é uma opção.

Imagem da Autoria de Mysterous World

Passamos mais de 40 horas por semana no trabalho, o que equivale a quase 2 dias inteiros seguidos com os nossos colegas, obrigando-nos a lidar com determinadas situações que nem sempre são fáceis de lidar, nomeadamente quando somos requisitados para resolver problemas ou dificuldades deles.

A minha experiência no trabalho diz-nos que temos de saber lidar com certas situações colocadas pelos “end-users”. Recentemente ao ler um artigo que fala precisamente como devemos reagir perante situações que podem suscitar conflitos, depende de nós e só de nós ser superiores a isso e conseguir “dar a volta por cima”.

Aqui ficam 9 dicas de como ultrapassar/evitar este tipo de situações:

  1. Mantem a situação neutra e profissional.
    Relembra as regras para uma conversa estável: sem religião, sexo ou política. (Eu sei, sem isso a conversa pode tornar-se uma seca, mas no trabalho, o chato pode ser muito bom e fazer a diferença entre continuares no emprego ou perdê-lo!) Se vires que a conversa está a ficar estranha, o melhor será desculpares-te de a continuares.
  2. Dá o benefício da dúvida.
    Se foi a primeira vez que aquela pessoa foi difícil, asume que algo pode ter acontecido para causar tal comportamento. Nunca sabes se a pessoa está a passar um momento difícil. A maioria das pessoas são realmente boas pessoas, portanto se for a primeira vez que essa pessoa age de forma infeliz, dá-lhe o benefício da dúvida.
  3. Mantem-te firme e calmo, não se trata de uma competição.
    A raiva é um fogo que nos torna maus e que nos consome. Quando estamos irritados, os níveis de stress disparam (acompanhados da pressão do sangue) acabando por nos levar a tomar más decisões. Quando começamos a ficar competitivos, alguém tem de ganhar e alguém tem de perder. Caso o teu historial com determinada pessoa seja de ficar irritado ou ficar competitivo, prepara previamente a interação que vais ter com essa pessoa, pensando e focalizando-te nas dúvidas e nas questões directamente ligadas ao trabalho que precisa de ser feito, isto permitirá que vás mais concentrado no trabalho, evitando a tendência natural de implicar com a pessoa.
  4. Conhece os teus limites.
    Não podes mudar a outra pessoa, apenas podes alterar a forma como lhe respondes. Sejas ou não sejas uma pessoa religiosa, deverás lembrar-te da deixa “Deus, dá-me a serenidade para aceitar as coisas que não posso alterar, coragem para mudar as que posso e liberdade para conhecer a diferença.” Acredito que, por mais que eu gostasse, não posso mudar as outras pessoas e, muito sinceramente, esse não é o meu trabalho.
  5. Olha-te ao espelho.
    Estás a fazer algo que leva a outra pessoa a sentir que estivesse no mau caminho? Quantos de nós, mesmo com mais de 40 anos, não o fazemos? E parece que procuramos irritar e provocar as pessoas, mesmo aquelas que gostamos? Mesmo que estejamos apenas a brincar e digas “estou apenas a brincar” podes estar a magoar a outra pessoa, por pouco que seja. E não há necessidade nenhuma disso.
  6. Dá uma volta, especialmente quando sentes as emoções fortes.
    Recentemente no trabalho tive de lidar com uma pessoa que senti que estava a ser muito desonesta e estava até a ser desrespeituosa. Como senti as minhas emoções a virem ao de cima respondi-lhe “Tenho de sair. Amanhã ligo-lhe.” Isso deu-me tempo para me acalmar e pensar na melhor maneira para lidar com a situação. Se possível, dá uma volta para espaireceres antes de reagires e lidares com a situação.
  7. Sê prático e objectivo.
    Cada um de nós é único.Algumas pessoas apenas nos tratam de forma diferente ou, (suspiro), nós temos esse efeito nelas. Quando não estás perto do teu gémeo do diabo, tu passas a ser o gémeo do diabo, por isso mantem-te profissional e positivo, lida com os factos e focaliza-te no teu comportamento e nas tuas reações, não nos da outra pessoa.
  8. Empatia pode ser um caminho longo a percorrer.
    Quando “caminhamos um quilómetro nos sapatos de outra pessoa”, parece que ganhamos uma percepção das motivações, necessidades e desejos dessa pessoa. Não quer dizer que concordamos com tudo mas passamos a compreender. Essa compreensão permite-nos mudar a forma como interagimos com essa pessoa de uma maneira mais positiva. Como o Stephen Covey diz, “Primeiro procura conhecer, depois deixa ser conhecido.”
  9. Pensamentos positivos são poderosos.
    Tal como Paul Senness diz “Pensamentos positivos originam linguagem positiva o que por sua vez origina resultados positivos.” E a verdade oposta, “Pensamentos negativos originam linguagem negativa o que por sua vez leva a resultados negativos.”

Matar não é uma opção, saber como lidar com as pessoas e as situações sim.

Advertisements
Tagged , , , , , , ,
%d bloggers like this: